Sem categoria

Dia do Poeta

Vos brindo com um poema de Salgado Maranhão neste dia de festa ❤

POESIA VI

Alguém guardará tua pupila (a

casca acesa do raio) na órbita

metalúrgica

da palavra.

Sou dos que rastejam

esse cardume.

Debandado,

crio ramas debaixo

da tua escama (ou

aguardo teu chuvisco

enquanto racham

minha telha).

O poeta é o imigrante

da linguagem.

Alguém guardará

teu veneno

num charco

de espelhos (e mentiras

com batom).

Alguém como eu,

que rega o impossível,

enquanto o sol adoça

as laranjas.”

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s